Ilhas do mar

quinta-feira, janeiro 22, 2009

XXXVIII - Bendito seja o Mesmo Sol


Bendito seja o mesmo sol de outras terras
Que faz meus irmãos todos os homens
Porque todos os homens, um momento no dia, o olham como eu,
E, nesse puro momento
Todo limpo e sensível
Regressam lacrimosamente
E com um suspiro que mal sentem
Ao homem verdadeiro e primitivo
Que via o Sol nascer e ainda o não adorava.
Porque isso é natural — mais natural
Que adorar o ouro e Deus
E a arte e a moral ...

Alberto Caeiro

4 Comments:

  • Que poema bonito para uma foto fantástica!
    Obrigada...

    Beijinho, Nanda

    By Blogger Maria, at 11:38 da tarde  

  • O sol, o nosso astro-Rei.
    Fica bem.
    Felicidades.
    Manuel

    By Blogger DE-PROPOSITO, at 6:12 da tarde  

  • Não sei qual o mais bonito a foto ou o poema... não sei talvez a foto por representar a beleza natural ou o poema por expor um sentimento natural?

    By Blogger geocrusoe, at 8:07 da tarde  

  • O poema é óptimo.
    Mas a fotografia....soberba!

    By Anonymous Anónimo, at 11:02 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home